Barra das Guias

quarta-feira, 24 de março de 2010

Técnica Vocal

Primeiramente em duplas, um aquecimento básico: um massageando o outro e vice-versa. Depois, caminhando pelo espaço, lembrando-se sempre de manter tronco ereto, cabeça reta, queixo paralelo ao chão, olhar para o horizonte, respiração usando o diafragma. STOP! (pra qm não lembra: stop significa parar estátua, onde estiver).

Então no lugar onde você está, arrume-se na posição-básica do ator (relembre esta posição lendo posts anteriores) e feche os olhos. Respire: inspire e expire, expandindo o diafragma e relaxando. Depois, respire cada vez por uma narina e solte o ar pela outra, usando o indicador e o polegar para alternar as narinas fechada e aberta. Depois de soltar o ar com uma narina, respire com a mesma e solte o ar com a outra. A que solta o ar, respira devolta e a outra q solta o ar, que então respira e fica nesse ciclo vicioso. =P

Depois houve a respiração contada/ritmada. Já a citei em outro post de aula de voz. O exercício é inspirar em 3 tempos, segurar o ar nos pulmãos em 5 tempos, soltar o ar em 8 tempos e segurar o pulmão sem ar por 5 tempos e voltar a inspirar em 3 tempos e segue o ciclo. Isto tudo, com os braços erguendo quando inspira e descendo do alto quando expira. / houve uma variação deste exercício que foi, inspirar em 1 tempo, segurar em 5, soltar o ar em 10, segurar em 5. Outra variação ainda foi quando soltar o ar, soltar fazendo o som de S, V, F, J, Z, X, R, usando o diafragma para auxiliar na expiração com som.

Depois disso, em duplas, um de frente para o outro, fiquemos em posição-básica do ator, relaxando. E observando o parceiro(a), em concentração, olhando nos olhos. Então, começa-se a fazer as caretas. Extravasar nas caretas, usar todos os musculos do rosto, todos possíveis e articular bem, exageradamente. Depois disso, fazer os movimentos de abertura da musculatura da boca como se estivesse falando as vogais A, I, U. Mas sem usar a voz e articulando muitíssimamente. Depois, articular as mesmas vogais, sem ter a pausa entre uma letra e outra. Como se falasse a palavra “aiu” mas articulando bem conforme o exercício. Depois vieram as palavras de costume: Balão, Belém, bolota, Bule.

Depois disso, inspirar e soltar o ar em som de S, V, F, J, V, X, Z, R usando o diafragma para soltar o ar. E fazendo soquinhos, tipo: (som da letra S) Sh, sh, sh, sh, sh, sh (cada ‘sh’ seria o som soltado pela boca, usando o diafragma para soltar este som). E repetindo com todas as letras citadas.

Então veio o aquecimento dos lábios: som de cavalo (ou pra mim, é som de carro de formula 1) . Depois, colocando a lingua pra fora, vira um babão mal-educado (cuidado pra não cuspir no parceiro da frente). E então a lingua passa pelas gengivas fazendo 10 vezes um movimento circular para cada lado. Depois dos 20 movimentos, fazer mais 10 bolinhas com a língua do lado de dentro da bochecha. 10 vezes em cada bochecha. Depois disso, a lingua está cansada. =P

Bom, exercício novo foi este: De costas ficavam as duplas. As costas relando uma na outra. Então antes, perceber o movimento que a garganta faz quando se vai bocejar. Nos homens, o pomo-de-adão abaixa e então o ar entra pela boca. Uma respiração mais aberta, mais relaxado o musculo da garganta. Tentem bocejar, fazer querer vir um bocejo e percebam como a musculatura se movimenta. Então, o exercício novo era respirar desta maneira, abrindo a garganta, mas respirando pelas narinas e soltando o ar pela boca, mas não como bocejo, daí só como soltaria normalmente. / Respirando então deste modo, o exercício se complexa, pois, então, cada dupla deverá se perceber (concentração) e inspirar quando o outro estiver expirando. Como se fossem uma engrenagem, um ciclo: um inspira, o outro expira; então um expira e o outro inspira.

Depois disso, abrir numa grande roda, numm grande círculo: Usando a voz, lembrando-se de usar o diafragma para o ar sair, repetir estas sílabas: MI, Ê, É, A, Ó, Ô, U, I.  Para quê estas silabas? Se perceberem, estas silabas farão com que a musculatura da boca faça uma abertura total e se feche. As sílabas proporcionam isso. Então todos treinam até que forme uma palavra inteira com as sílabas “Miêéaóôui” na qual seja feita sem interrupções durante a fala.

Depois voltamos ao exercício da BOCA QUE USA (citado anteriormente em posts de aulas de voz). Só que desta vez, o prof nos alertou para os dois sentidos deste exercício. Quando se faz este exercício em especial, a voz/o som da voz pode ficar em 2 lugares: dentro da boca ou dentro da cabeça. A diferença: quando está o som dentro da boca, ao abrir a boca a voz saí. Ao fazer este exercício e a voz/som da voz estiver dentro da cabeça, você pode abrir a boca, até escancará-la, que a voz não irá sair, contudo o som estará ainda vibrando dentro da cabeça. Este foi um exemplo básico que o prof mostrou, para regular por onde a voz/ o som da voz deve sair. POis, uma voz anasalada é equilibrada por o som estar um pouco dentro da cabeça e um pouco na boca. // (bem, tentei explicar o mais compreensível possivel. Se não entenderem, comentem!!!)

Bom, que eu me lembre, depois disso caminhamos um pouco mais. Fizemos umas caminhadas falando. Fizemos um exercício de começar fazendo a BOCA QUE USA e então a voz saía em A, I e U. Depois a voz saía em “Aiu” = isto sempre se lembrando da projeção da voz, usando o diafragma e articulando bem a musculatura facial.

Depois FIIIMMMM!!!!

3 comentários:

Anônimo disse...

eu tava esperando vc postar para eu lembras as Sílabas : MI, Ê, É, A, Ó, Ô, U, I.


thaks!

Arte em Cena disse...

Muito bom! Sou professora de teatro também!!

Blog do Músico Gabriel Gamberini disse...

Fiz um tempo teatro e hoje faço aula de canto ( eu e o Gabriel) e quando encontrei esse blog, adore! Agradeço pela a iniciativa e pela vontade de compartilhar conhecimento. Parabéns e obrigada!!!